O uso do MAPA em pacientes hipertensos

O uso do MAPA em pacientes hipertensos
21 de março de 2019 Marketing

Um em cada quatro brasileiros possuem hipertensão  segundo a pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção  para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2012) e recentemente o departamento de saúde da Inglaterra e a AHA/ACC dos Estados Unidos recomendaram o uso do MAPA na triagem de pacientes que foram diagnosticados recentemente.

O intuito dessa recomendação está em evitar o tratamento indevido de pacientes que estão com PA elevada no consultório, mas que se normaliza em seguida,  considerando a média das 24 horas. Além disso, ainda há um estudo em andamento para verificar a possibilidade de triagem com medidas domiciliares.

Vale ressaltar que a monitoração ambulatorial de pressão arterial (mapa) atua de forma não-invasiva por 24 horas para medir, gravar e exibir os resultados da pressão sistólica, pressão diastólica e frequência cardíaca e de que o sistema Oscar 2 é capaz de fornecer informações de diagnóstico valiosas que os sistemas de monitoramento da pressão arterial convencionais são incapazes de medir, se tornando portanto, um equipamento favorável em casos de pacientes hipertensos.